Publicações cheias de likes devem deixar de ser a norma em breve no Instagram. Para quem usava esses dados como marketing, essa pode ser uma mudança de paradigma importante: isso porque apenas o autor do conteúdo terá acesso aos dados de alcance dos posts.

 

adoção do teste aqui no Brasil a partir desta quarta-feira (17) pode significar que o experimento feito no Canadá foi bem-sucedido. Em maio, quando o processo começou por lá, a rede social informou que a ideia era observar se a medida afetava o uso do aplicativo e se ajudava a tornar a plataforma mais saudável e proporcionar interações mais positivas. Além disso, disse que as medidas poderiam chegar a outros países se o resultado fosse satisfatório.

Segundo o Instagram, a ideia é que o conteúdo oferecido na plataforma seja o destaque — não as curtidas que ele recebeu. Afinal, o app é acusado de deteriorar a saúde mental dos usuários, já que, lá, eles encontram imagens de um estilo de vida perfeito que muitas vezes não podem alcançar. Em 2017, inclusive, um estudo da agência de saúde pública do Reino Unido o considerou a pior rede social para a saúde mental e o bem-estar.

A companhia destaca que o objetivo da mudança é diminuir a competitividade (muitos buscam o sucesso na plataforma e a encaram como um concurso de popularidade) e combater o bullying. Com a eliminação dessa métrica, então, espera-se que os visitantes se concentrem mais nas fotos e nos vídeos compartilhados do que na popularidade das publicações.

Número de seguidores

E o que isso pode representar na prática? Que os influenciadores terão mais dificuldade para vender espaço publicitário com base apenas em número de seguidores e suposto envolvimento entre eles e a página. Afinal, eles dependem de popularidade para participar de campanhas — sem que possam provar sua influência online, não vão mais chamar a atenção de marcas e potenciais parceiros e terão de recorrer a outras técnicas.

Um dos cenários é que o número de seguidores passe a ser a métrica mais importante. Nesse caso, perfis que compram seguidores podem acabar nivelados aos que conquistaram a audiência de forma orgânica. Até agora, o que os separava era o engajamento (muitas vezes em forma de curtidas) e, sem a possibilidade de vê-lo, todos parecerão iguais à primeira vista.

O número, entretanto, deve continuar a ser considerado pelo algoritmo do Instagram para determinar quais publicações aparecem para os seguidores. Mesmo assim, vai ser cada vez mais fundamental produzir conteúdo original e que realmente tenha apelo para a comunidade a que se destina. O Instagram estuda formas de permitir que o usuário demonstre o valor de seu material para marcas que queiram patrociná-lo.

Ainda não é possível saber quais impactos a medida vai ter (afinal, o Instagram não divulgou os resultados dos testes feitos no Canadá), mas ela certamente vai mudar a forma como as pessoas se relacionam com a rede social e dentro dela. Vamos acompanhar e torcer para que o ambiente online se torne menos tóxico.

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.