O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), apresenta nesta quinta-feira, 13, em Manaus, uma nova ferramenta de suporte às ações de combate e prevenção à violência contra a mulher. O aplicativo Botão da Vida será apresentado a gestores públicos e sociedade civil durante 2º Seminário Regional de Promoção e Defesa da Cidadania.

O aplicativo Botão da Vida é um projeto inovador e faz parte de um conjunto de ações programadas na gestão do governador Gladson Cameli, na área de ‘Política para Mulheres’, usado para a aplicação da lei, em caso de descumprimento das medidas protetivas. Foi pensado para dar segurança à vítima e informações à polícia.

“O Botão da Vida é um projeto acreano. Trabalhamos nele desde 2016. Como vítima de violência doméstica, percebi que no descumprimento da medida protetiva, há falhas na segurança e proteção da vítima. Pesquisei sobre o assunto e descobri que existe um projeto no Brasil chamado Patrulha Maria da Penha, mas não havia o aplicativo associado ao acionamento especifico da patrulha, com fotos do agressor, da vítima e dados do processo”, explica a diretora de políticas públicas para as mulheres da SEASDM, Isnailda Godim.

Ainda segundo a diretora de políticas para as mulheres, as medidas protetivas, por si só, não trazem segurança para a mulher e também para os filhos que sofrem nesse ambiente de violência. “O aplicativo será uma forma de evitar danos maiores de quem já passou por agressões, lesões corporais e ficou próxima de ser uma vítima de feminicídio. No seminário poderemos disseminar essa ideia do aplicativo que trará segurança e vida”, destacou Gondim.

Sobre o Seminário

Realizado pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), em Manaus, no dia 13 de junho, no 2º Seminário Regional de Promoção e Defesa da Cidadania objetiva discutir temáticas sobre a violência contra mulher, Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e prevenção ao suicídio e à automutilação. O evento é uma boa oportunidade de mostrar a relevância de uma estratégia institucional acreana utilizada para salvar vidas, com celeridade, um instrumento de proteção às vítimas que pode se tornar uma política nacional.

O objetivo da Unale é expandir e difundir o debate em todas as Casas Legislativas do Brasil. A primeira edição aconteceu em Brasília, abrangendo a região centro-oeste, com sede no Auditório da Câmara Legislativa do Distrito Federal e teve como palestrantes a Ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, o Ministro da Cidadania, Osmar Terra, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o Conselho Nacional do Ministério Público e também representantes da Associação Brasileira de Psiquiatria.

Parlamentares, técnicos e especialistas de todos os estados estarão presentes e irão, juntos, fortalecer e embasar diversos debates de relevância para o Brasil. Os temas serão aprofundados na 23ª edição da Conferência Nacional da Unale, que acontecerá em novembro, na Bahia.

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.