APolícia Federal encontrou provas de que houve corrupção entre membros da Delegacia de Homicídios da Capital, o que impediu o esclarecimento da autoria dos assassinatos que envolvem milicianos do “Escritório do Crime” e integrantes da máfia do jogo do bicho no Rio de Janeiro.

Segundo o UOL, duas fontes ligadas ao inquérito da PF, que apura se houve obstrução à investigação sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, confirmaram a informação. O crime aconteceu em 14 de março de 2018.

+ PF apura se PM usou arsenal em mortes do Escritório do Crime

De acordo com o site, ao menos dois delegados estariam na folha de pagamento do “Escritório do Crime”, e a propina era paga na própria sede da DH, na Barra da Tijuca.

Pelo menos oito inquéritos da DH estão sob análise da PF por determinação da Procuradoria-Geral da República.

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.