A CLDF aprovou o PL do Executivo que cria novamente o Cartão Material Escolar. O governo disponibilizará 27 milhões para atender estudantes da rede pública do DF.

Fiel madrinha da volta do Cartão Material Escolar, a deputada Jaqueline Silva (PTB) teve que ser relembrada pela imprensa como proprietária de uma papelaria que recebeu o benefício do cartão no passado. Nada ilegal, mas se o PL fosse de autoria dela…Imoral talvez.

Enquanto os alunos dividem com os empresários os bônus da volta do Cartão Material Escolar, as escolas públicas voltaram as aulas em condições de miséria, algumas caindo aos pedaços, herdando o ônus. O cartão é favorável, mas quando se tem escolas de qualidade, o que não é o caso no DF.

Cresce assustadoramente o número de parlamentares que têm empresas prestadoras de serviços em alguma área do governo do Distrito Federal, ou que tem assessores que comandam alguma empresa fornecedora.

O enriquecimento é constatado pelo site de prestação de contas do TSE. Hoje os empresários são alvo. Todos de olho nas empresas fornecedoras.

Aquela velha história do passado, que a política empobrece, fica cada dia mais distante daqueles que entram nela para tentar alcançar sua cadeira no poder.

No caso da deputada Jaqueline Silva (PTB), em 2006, quando se candidatou pela primeira vez, a deputada declarou R$ 50 mil reais em bens. Em 2010 a coisa deu uma melhorada e o patrimônio passou para R$ 630 mil reais. Agora na eleição de 2018, a declaração de bens chegou a R$ 1.308,000,00.

http://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#/candidato/2014/680/DF/70000000325/eleicoes

Uma verdadeira receitinha de sucesso na área do empreendedorismo.

Fonte: Cris Oliveira

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.