20.2 C
Distrito Federal
sábado, 30 maio, 2020

As Quentes da Política do DF

Inquéritos das Fake News Oito deputados ligados ao presidente Bolsonaro são alvo da operação da Polícia Federal que investiga Fake News na internet contra os...
More

    Tudo lindo para entregar o Parque da Cidade às PPPs.

    - PUBLICIDADE -



     

    park da cidade

    Parece até piada, mas não é. O governo de Brasília anuncia parcerias público privadas para administração de locais públicos, mas na prática não é bem assim. No Parque da Cidade, por exemplo, o governo gastou R$ 5.264.835,92 do Banco do Brasil, especificamente para mobilidade urbana. As pistas de Cooper já estão com 85% das obras concluídas e inclui também as ciclovias.

    Se o objetivo é economizar o dinheiro dos contribuintes repassando para a iniciativa privada, é um contrassenso investir recursos públicos e depois entregar os espaços.

     

    Deve haver explicação para tamanho disparate!

     

    A Resolução nº 72 de 09/11/2015 define as áreas prioritárias para recebimento das MIP (Manifestação de Interesse Privado), mas não veda ao governo novos investimentos nas áreas que serão oferecidas.

    A novela das PPPs no DF é antiga e sempre encontrou barreiras, o modelo não agrada aos contribuintes e invariavelmente termina com denúncias de irregularidades.

    Quem não se lembra das PPPs do governo passado? Só a título de lembrança vou citar uma denúncia a cerca de uma das PPPs de Agnelo mais recente, que por sinal foi condenada pelo atual governo. Além dessa, há outras:

     

    “O Ministério Público de Contas recomendou a rescisão do contrato de concessão pelo Executivo do Centro Integrado de Gestão (CGI), a segunda maior parceria público-privada (PPP) do governo de Agnelo Queiroz. Trata-se de um negócio de R$777 milhões. A maior parte destinada à compra de equipamentos de informática para monitoramento de todo o governo e das vias do Distrito Federal.

    O argumento do procurador Demóstenes  Albuquerque é de que houve uma alteração societária da concessionária do serviço, a Iten, em desacordo com o edital de licitação. O pedido está a ser apreciado pelos conselheiros no plenário do Tribunal de Contas do DF.

    “A PPP do CGI já está suspensa por força de determinação judicial numa guerra comercial entre a Iten e uma concorrente. A torcida no governo do DF, neste momento, é por uma determinação judicial ou do Tribunal de Contas pelo fim do contrato. A avaliação de integrantes da equipe de Rollemberg é de que essa PPP é cara e dispensável.” Fonte: Blog do Callado.

    O atual governo em campanha apregoava mudanças e austeridade, no entanto, no que se refere ao modelo de gestão, tem demonstrado que o “jeito Agnelo de governar” foi aprovado e copiado por eles.

    Ademais não se pode deixar de lembrar que as PPPs anunciadas são, em sua maioria, para Administração de ESPAÇOS PÚBLICOS, isso mesmo: em letras garrafais.

    Ora, se são espaços públicos, são destinados ao uso comum, e como bem público dominical, há princípios que regem sua alienação, um deles é a caracterização do interesse público. Ou seja: o Governo de Brasília consultou a população afetada acerca da realização das PPPs?

    Houve publicidade suficiente a respeito do tema a fim de informar a população sobre as regras das PPPs? Houve Audiências Públicas com a população atingida para debater o assunto?

    Penso que dada a dimensão do interesse público envolvido e dos valores correspondentes, assim como das consequências que hão de vir, não foi suficiente nem a publicidade dada ao tema, nem as consultas à população.

    Tanto que há perguntas que não foram suficientemente respondidas e/ou não obtiveram respostas satisfatórias. Pautam dúvidas a respeito e cumpre ao Governo esclarecê-las antes de pactuar o destino das áreas públicas do DF.

     

    Como serão as PPPs?

     

    Ninguém sabe ou não entendeu.

    Foi aberta a entrega de projetos (MIP) das áreas e dos serviços públicos, e só depois o governo de Brasília abrirá  Edital de chamamento para empresas. Ou seja, o governo não sabe e não tem projetos de parceria público privada,

    (é o que parece),  portanto caberá às empresas apresentarem projetos,  e ditar dentro das poucas regras como quer explorar as áreas ou os serviços públicos.  Resumindo, a má gestão quer passar os espaços e serviços, mas não sabe como fazer. No Parque da Cidade, por exemplo; o interessante é entregar tudo pronto para os empresários. A parceria será uma via de mão única.

     

    As empresas ganhadoras das PPPs no Parque da Cidade administrarão quiosques, restaurantes e eventos. Em troca, o governo disse que não gastará mais com o Parque, mas está entregando uma obra que custou exatamente o dinheiro do contribuinte. O governo de Brasília alega que gasta em média 600 mil mensais para manter o Parque, logo este custo será repassado a quem vier a celebrar a PPP, se é possível a iniciativa privada auferir lucro suficiente para tornar a parceria atraente, porque o governo não consegue? Seria problema de gestão? Quem ganha com as PPPs do Parque, das Torres de TV e Digital, do Centro de Convenções, e das demais?

    Há inúmeras perguntas que precisam de respostas que satisfaçam o povo e especialmente não deixem dúvidas a cerca das PPPs. A fim de se evitar que empresas percam seus investimentos e que o povo perca seus bens públicos, em decorrência de denúncias, como a já citada, que as respostas sejam rápidas e esclarecedoras!!!

     

     

    Cris Oliveira

     

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Motociclistas da PMDF reforçam segurança nas rodovias do DF

    Ações de motociclistas do Batalhão de Policiamento Rodoviário da PMDF resultaram em 312 autos de infração, nesta sexta-feira (29), durante pontos de bloqueio em...

    PMDF apreende moto com chassi adulterado e mais de 52 mil reais em multas no Recanto das Emas

    PMDF apreende moto com chassi adulterado e mais de 52 mil reais em multas no Recanto das Emas  Uma motocicleta foi apreendida nesta sexta-feira (29),...

    No Recanto das Emas, Polícia Militar recupera instrumentos musicais que haviam sido furtados de igreja

    Por volta das 17h desta sexta-feira, policiais do Grupo Tático Operacional (Gtop 48) conseguiram recuperar instrumentos musicais que haviam sido furtados de uma igreja...

    Fundação Itaú faz doação de EPIs à Secretaria de Saúde

    A Secretaria de Saúde do Distrito Federal recebeu uma grande doação de equipamentos de proteção individual (EPIs) da Fundação Itaú para Educação e Cultura....

    Obras do centro de triagem da Estrutural estão 90% executadas

    Recursos para execução das obras de centro de triagem provêm do BNDES | Foto: Novacap / Divulgação O reaproveitamento dos resíduos sólidos produzidos pela população...