20.1 C
Distrito Federal
01/07/2020 - 22:23 PM

As quentes da política do DF

Ibaneis recebe voto de louvor no Piauí A Assembleia Legislativa do Estado do Piauí aprovou voto de louvor a Ibaneis Rocha pela postura adotada pelo...
More

    Passageiro poderá escolher pagar mais caro para não conversar no Uber

    A funcionalidade Comfort chega ao Brasil em novembro



    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Uber anuncia uma categoria de viagens que dá ao passageiro a opção de não conversar com o motorista e de solicitar a temperatura do ar-condicionado antes de entrar no carro.

     

    Lançada nos Estados Unidos, a funcionalidade Comfort chega ao Brasil em novembro, informou a empresa nesta segunda-feira (7). A opção será mais cara que o UberX, segundo modelo mais barato do aplicativo. A alternativa mais em conta hoje é o Juntos, em que pessoas podem compartilhar a viagem.

    A empresa não diz qual será a variação de preço da categoria X para a Comfort. A Uber costumava cobrar uma taxa fixa de 25% no X, mas desde julho de 2018 passou a adotar uma taxa variável, que depende do tempo e da distância percorridos.

    Segundo a Uber, ao solicitar uma viagem Comfort, o usuário poderá selecionar suas preferências no aplicativo, que vai exibir uma tela com opções pré-definidas para temperatura e conversa.

    A categoria só permitirá carros mais novos e motoristas com uma avaliação média mínima. A média depende de cada cidade, diz a empresa. Um motorista com nota três estrelas tem o desempenho considerado baixo em uma metrópole como São Paulo.

    As versões mais caras hoje são o Select, de carros mais espaçosos, e o Black, que remonta à chegada da companhia no Brasil, em 2014. Ela só permite automóveis pretos, sedã e com bancos de couro.

    A empresa diz que adotou a função “sem conversa” após o retorno de usuários, e que busca padronizar a operação em todos os mercados em que opera (mais de 60 países).

    Mais de 600 mil motoristas estão registrados no Brasil. Segundo dados da companhia, são 22 milhões de passageiros.

    Enquanto amarga um prejuízo superior a US$ 5 bilhões (mais de R$ 20 bilhões), a companhia americana adota planos de longo prazo no céu.

    Nos últimos anos, investe em uma divisão de pesquisa e desenvolvimento chamada Uber Elevate, que pretende lançar um modelo de transporte aéreo (UberAir) nos próximos cinco anos.

    Trata-se de um veículo autônomo e elétrico de decolagem e pouso vertical (uma mistura de drone e helicóptero), que já mobiliza montadoras como Daimler e Rolls-Royce.

    Enquanto não pode lançar seu projeto audacioso, a empresa volta a apostar no serviço de helicóptero. Lançou nesta segunda-feira a usuários de Nova York uma opção para chegadas e partidas do aeroporto JFK.

    Os voos duram cerca de oito minutos e custam de US$ 200 a US$ 225 (cerca de R$ 813 a R$ 915) por pessoa.

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Escolas entregam cesta verde e pais recebem ajuda em segurança

    Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília As escolas públicas do Distrito Federal prepararam um esquema especial para entregar as cestas verdes para as famílias...

    Mulher é novamente presa por tráfico na rodoviária de Brasília

    Os policiais militares do 6º Batalhão prenderam duas pessoas por tráfico e porte de entorpecentes, na plataforma “E” da Estação Rodoviária de Brasília, às...

    Testagens nas UBSs são para pessoas com sintomas de Covid-19

      A testagem para Covid-19 foi ampliada desde a última segunda-feira (29) e todas as 172 unidades básicas de saúde do Distrito Federal oferecem o...

    Covid-19: Brasil atinge platô nas mortes, diz Ministério da Saúde

    Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (1º), o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo de Medeiros, declarou que o...

    BB emprestará R$ 3,7 bi a pequenas empresas afetadas por pandemia

    As micro e pequenas empresas e os empreendedores individuais de todo o país afetados pela crise provocada pela pandemia do novo coronavírus podem contrair empréstimos...