20.2 C
Distrito Federal
domingo, 31 maio, 2020

As Quentes da Política do DF

Inquéritos das Fake News Oito deputados ligados ao presidente Bolsonaro são alvo da operação da Polícia Federal que investiga Fake News na internet contra os...
More

    Empresários cobram no Senado o fim do monopólio do DPVAT

    - PUBLICIDADE -


    No Senado Federal, Movimento Pró-Livre Iniciativa Para Todos quer fim de monopólio do DPVAT

    Fotos_Divulgacao (2)

    Nesta quinta-feira, 24 de setembro, o presidente da Gente Seguradora S.A, Sergio Suslik Wais, ressaltou ao senador José Medeiros (PPS-MT), em audiência em seu gabinete, para dialogar sobre o projeto que torna livre a escolha de seguradoras para uso do DPVAT, que o estado deve cumprir com a Constituição Federal e dar fim ao monopólio atual.

    No Senado Federal, José Medeiros apresentou o Projeto de Lei 558/2015, para restabelecer ao proprietário de veículos o direito de livre escolha da seguradora na necessidade do uso do DPVAT. Bastante polêmica, a proposta já está na Comissão de Constituição – CCJ, aguardando indicação de um relator.

    Se fosse cumprida a Constituição, o legislativo não necessitaria enviar mais projetos de lei, pois a livre concorrência é um ato já assegurado pela justiça. Cada um tem direito de escolher sua Seguradora. O beneficiário tem que ter seu direito de optar”, afirmou o empresário segurador.

    Há 43 anos na área de seguros, Sergio Suslik Wais, que iniciou o Movimento Pró-Livre Iniciativa Para Todos é fundador da Gente Seguradora S.A., empresa que defende os princípios constitucionais que regem a ordem econômica nacional, notadamente o princípio constitucional da Livre Iniciativa, da Livre Concorrência e da proteção ao consumidor, bem como a determinação, também constitucional, de Repressão ao Poder Econômico que vise a dominação do Mercado.

    A concorrência é positiva para o segmento, pois a tendência é a diminuição do valor cobrado e a melhoria do serviço oferecido”, afirmou senador, acompanhado de sua equipe de gabinete.

    A constituição já diz isso. Que não haja monopólio. Porém, atualmente o processo é antidemocrático e movimenta mais de 9 bilhões de reais. As importâncias segurada não aumentam, por questões de ingerência do governo. Destes, 4,5 milhões vão para o SUS e o Denatran. E apenas 2% ficam com a seguradoras.

    As fraudes não são a única mazela que mancha a imagem do DPVAT. A investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal de Minas Gerais, na operação “Tempo de Despertar”, deflagrada em abril para desmantelar uma organização criminosa, resultou na denúncia de servidores públicos, policiais civis e militares, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, dentistas, agenciadores do seguro, diretores e procuradores da Líder.

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Ferramenta usa inteligência artificial para parar de fumar

    Preocupada com o tabagismo, considerado o maior risco controlável para doenças cardiovasculares e principal causa de óbitos no Brasil, a Sociedade Brasileira de Cardiologia...

    Covid-19: equatoriano Juan Cazares, do Atlético-MG, testa positivo

    O Atlético-MG confirmou na tarde de hoje (31) que o meia-atacante equatoriano Juan Cazares, de 28 anos, testou positivo para o novo coronavírus (covid-19). De acordo...

    Aeroporto de Montevidéu é transformado em cinema drive-in

    O Aeroporto de Carrasco, principal terminal aéreo do Uruguai, trocou as decolagens e aterrissagens de aviões por filmes. O estacionamento foi transformado em cinema...

    PMDF apreende dois jovens com armas e pé de maconha

    Dois adolescentes foram apreendidos suspeitos de posse irregular de arma de fogo e uso e porte de drogas no Núcleo Rural Rajadinha III em...

    Manifestantes entram em confronto na Avenida Paulista

    Integrantes de grupos que participavam de manifestação em defesa da democracia e apoiadores do governo federal entraram em confronto na tarde de hoje (31)...