O Boletim de Ocorrência foi registrado na 14° DP, mas no documento não foi citado nenhum servidor da Administração Regional do Gama. Inclusive a investigação da Polícia Civil já apontou que o número do celular usado para mandar mensagens à servidora é de um homem que se encontra preso na cidade de São Paulo.
Eu nada tenho a ver com o fato ocorrido, já que na época da denúncia, havia voltado a exercer meu mandato na CLDF, ou seja, não estava mais sob o comando da Administração Regional do Gama. E, pelo que me foi informado, a exoneração da servidora deu-se única e exclusivamente por questões técnicas.
Nesse caso, nós temos uma ex-servidora que se diz vítima de um assédio. Mas em nenhuma momento menciona seu possível agressor. Diante de tanto absurdo, cabe a nós processar a jornalista que está veiculando os fatos sem nenhuma comprovação. Chama a atenção o fato da profissional de comunicação também ser uma ex-servidora exonerada porque não correspondeu às funções pré-estabelecidas. O que nos faz pensar que se uniram para insistir nessas acusações rasas que tem como intuito tentar enfraquecer nosso mandato.

Fonte: Assessoria de Comunicação Deputado distrital Daniel Donizet (PSDB)

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.