Na manifestação realizada pelos servidores públicos contra o ponto eletrônico para 30% dos funcionários na CLDF, o deputado distrital Agaciel Maia passou pelo painel do Sindical e votou contra a implantação, que gastará uma fortuna para monitorar poucos funcionários da casa.

Agaciel não poupou críticas a atitude de se implantar o sistema. Ponto é atestado que a gerência é incompetente, porque as diretorias na CLDF tem no máximo dez servidores. Ponto é coisa da revolução industrial, do século XIX. Sou contra o ponto porque tenho experiência. Isso é coisa retrógrada. A concepção moderna de recursos humanos não vem da escravidão, a ferro e fogo.

Cris Oliveira

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.