O Ministério da Saúde alerta a população para a vacinação contra sarampo, caxumba e rubéola em crianças e adultos. A vacina recebe o nome de tríplice viral e está disponibilizada no Sistema Único de Saúde (SUS). Essa atenção especial se dá pelo reaparecimento do sarampo e da rubéola de forma endêmica em vários países da Europa, como França, Itália, Alemanha, entre outros, segundo boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS). Com a globalização, há risco de contaminação no Brasil, mesmo estando na América do Sul.

Segundo o calendário nacional de vacinação do SUS, a primeira dose da vacina tríplice viral ocorre aos 12 (doze) meses de idade. Aos 15 (quinze) meses de vida, a criança recebe uma dose da vacina tetraviral, que corresponde à segunda dose da vacina tríplice viral associada a uma dose da vacina para catapora (varicela). Caso haja atraso na vacinação, crianças até quatro anos de idade ainda poderão receber a vacina com o componente varicela (tetraviral). A partir de cinco anos de vida até os 29 anos de idade, deverão ser administradas duas doses da vacina tríplice viral. Pessoas de 30 a 49 anos de idade devem receber uma dose da vacina tríplice viral.

“A vacina contra essas doenças é a única medida preventiva e a mais segura. É importante que o esquema vacinal esteja completo, conforme as indicações do Calendário Nacional de Vacinação. O Brasil tem uma das melhores coberturas vacinais segundo a OMS e o Ministério da Saúde trabalha na perspectiva de atingir coberturas adequadas a cada ano. Por isso é importante que a população procure sempre atualizar a caderneta de vacinação”, explica a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues.

PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES – O SUS, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), oferece todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no Calendário Nacional. Atualmente são disponibilizadas pela rede pública de saúde, de todo o país, cerca de 300 milhões de doses de imunobiológicos ao ano para combater mais de 19 doenças em diversas faixas etárias.

Mônica Moraes

Fonte: Agência Saúde/Ministério da Saúde

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.