Foto: Reprodução

O Carnaval ainda nem começou, mas o saldo do vandalismo e de morte já foi constatado no pré carnaval que aconteceu neste sábado (08/02).

Um jovem de 18 anos foi esfaqueado e veio a óbito, dezesseis pessoas feridas e furtos foram registrados. Esse foi o saldo da violência do Pré-Carnaval do DF.

Vídeos postados na rede social mostraram o inferno que vândalos fizeram no Metrô-DF e o clamor pela chegada da Polícia Militar não teve sucesso na hora da confusão no bloquinho Quem Chupou vai Chupar mais. A PMDF divulgou que 90 mil pessoas estavam no Pré-Carnaval que aconteceu no Museu da República.

No Instagram, o deputado federal Júlio César (Republicanos) se pronunciou: sou contra o uso da verba pública para carnaval disse o deputado, se referindo ao vagão do Metrô que foi quebrado e pichado por vândalos foliões que usaram o transporte na volta para casa.

A pergunta é: não seriam os bloquinhos responsáveis pela segurança do evento? Existem nos projetos contemplados para receber a verba, segurança privada e brigadistas para os foliões que participam do carnaval de rua?

É preocupante o tipo de cultura que o carnaval do DF vem plantando durante esses anos arrastando multidões nas ruas.

O dinheiro público deveria ser gasto com a saúde, educação, segurança. Cabe aos organizadores buscar incentivos do terceiro setor para a tradicional festa.

Cris Oliveria

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.