Foto: Reprodução

Em um reino muito distante, o imperador Uedat I, já muito idoso, não tinha a quem passar a coroa. Ele cheio de outros problemas, com os súditos reclamando que ele havia roubado muito, gostava de bons vinhos, que importava direto das melhores adegas do mundo. Ele, na dúvida, a quem passar a coroa, resolveu fazer uma consulta popular, tentando dar uma falsa impressão de que teria mudado. Entre tantos outros, que haviam nas diversas aldeias, ele logo ficou encantado com um jovem, que fizera fortuna, na capital do império. E após, os devidos acertos, arranjou as condições para que o jovem – Sienabi – fosse o preferido. Mas como eu posso fazer para ter a preferência popular, indagou-lhe o jovem. Simples, respondeu, prepare o ouro, que lhe darei o nome das pessoas influentes, as quais você distribuirá as pepitas de ouro. Mas eu não tenho jeito para isso, disse o jovem. O rei, então, chamou o conde – Oicineb – e determinou que organizasse a operação. E assim foi feito. Oicineb saiu à procura nas diversas aldeias, que topassem em apoiar o jovem, entregando as pepitas de ouro combinadas. Tempos depois, quando ocorreu o plebiscito, a decepção foi geral, porque o jovem não obteve a consagração que sonhava, e perdeu muito de suas riquezas.

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.