Com o objetivo de apoiar candidaturas feminina nas eleições municipais de 2020, organizações de mulheres, movimentos sociais, pesquisadoras, ativistas e mulheres eleitas em cargos políticos anteriormente formaram uma rede suprapartidária para impulsionar e qualificar a participação das mulheres na política.

O grupo, que pretende reunir 100 candidaturas em todo o estado de São Paulo, está com inscrições abertas para pré-candidaturas femininas de qualquer partido político ou para mulheres que tenham intenção de se candidatarem.

Para isso, a Rede Estadual de Mulheres, organiza uma série de atividades que vão desde reuniões de formação, articulação e elaboração de políticas públicas para mulheres e que acontecerão semanalmente na capital paulista.

Com apoio voluntário, a Rede receberá no próximo sábado o 1º Encontro para reunir interessadas e apresentar debates de políticas públicas voltadas para o público feminino, foco do coletivo.

As participantes terão acesso a cursos de formação política, planejamento, acompanhamento e divulgação de campanhas femininas, conhecimento básico de direito eleitoral, além de apoio na divulgação das pré-candidaturas.

Após a confirmação das candidaturas, a Rede Estadual de Mulheres na Política irá oferecer assessoramento durante a campanha, além formular coletivamente uma plataforma de políticas públicas para mulheres.

As candidaturas selecionadas serão financiadas por apoiadores voluntários.

As inscrições para o primeiro evento podem ser feitas no site da rede http://iniciativabrasilianas.org.

A Rede Estadual de Mulheres na Política é uma ação que integra o projeto “Mulheres na Política”, idealizado pela Iniciativa Brasilianas – organização que promove a igualdade de gênero no âmbito político, econômico e social, através de políticas públicas para mulheres. O grupo é formado por mulheres jovens e atua de forma independente, mantido por meio de campanhas de financiamento coletivo.

No primeiro semestre deste ano, a Iniciativa Brasilianas ofereceu um curso gratuito de formação política para pré-candidatas e um evento aberto ao público para debater a necessidade de superar desigualdade de gênero na política e como a baixa representatividade feminina afeta a democracia.

A partir dessas atividades, foram levantados os desafios e as demandas das mulheres que atuam na política, o que deu origem à Rede Estadual de Mulheres na Política, formada também pelos grupos: GEPÔ – Grupo de Estudos de Gênero e Política – DCP USP, Instituto UPDATE, Movimento Vivas, Rede Somos Valentes e Vote Nelas.

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.