No próximo dia 21 de setembro os alunos do Centro de Ensino Especial 01 de Brazlândia, mais conhecido como Cenebraz, recebe o intervalo cultural em parceria com o Festival Canta Viola Sertaneja.

A atividade será realizada das 9h às 12h com abertura do grupo de Break Dance com B. Boys da cidade. Na sequência a comunidade escolar vai contar com apresentação coreográfica dos estudantes da própria escola. O momento cultural ainda conta com apresentações musicais dos cantores sertanejos Thiago Henrique, criador do Festival, e dos jovens Manu e Daniel.

Thiago Henrique tem se destacado na região de Brazlândia cantando e compondo canções que evidenciam a peleja e o sossego da vida no campo, desde a infância. Para esta etapa, o sertanejo revela a importância do projeto em promover a inclusão. O Canta Viola Sertaneja tem patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC-DF), programa de fomento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF.

A Cenebraz , escola pública fundada em 16 de agosto de 1969, atende 380 estudantes com deficiência. A ocasião é um momento de comemoração dos 50 anos da instituição. Pintura de rosto, arte com balões, pipoca, algodão doce e brinquedos infláveis complementam a festa. Além do artista de grafite Mayko que vai criar uma arte numa das paredes da escola para reforçar a identidade do local.

Na última sexta-feira (13/7) os estudantes receberam duas apresentações de teatro dos grupos Dançarte e Mamulengo sem fronteiras no período vespertino, como parte das comemorações. O projeto Canta Viola Sertaneja tem o objetivo de exaltar a cultura sertaneja e divulgar artistas da região Centro-Oeste. Esta será a última etapa do festival que já passou pela Cidade Estrutural e pela praça do Laço, em Brazlândia.

A convite dos responsáveis pela escola de ensino especial Cenebraz, a organização  do  Festival Canta Viola Sertaneja vai realizar um intervalo cultural. “Atividades culturais como esse festival são importantes na educação especial, uma vez que uma característica marcante de nossos alunos é o gostar de cantar e dançar. Estas atividades estimulam os alunos na auto-expressão, possibilitando o desenvolvimento das potencialidades através da criatividade, flexibilidade, sensibilidade, reflexão,” relata Íris Marlei Lopes dos Reis, diretora da CENEBRAZ.

História

Dentro do contexto de igualdade de condições e acesso à educação está o Centro de Ensino Especial 01 de Brazlândia. Em 1969, atendia as quatro primeiras séries do Ensino Fundamental, já com alunos com necessidades educacionais especiais. Mas somente em 14 de outubro de 1992 a escola passou por uma reforma para abrigar esse público específico.

Com o aumento da demanda dos alunos com deficiência , em 1998 fez-se necessário o aumento de três salas de aula e de dois banheiros adaptados para atender, preferencialmente os alunos da Educação Precoce.

Até o ano de 2003 era o único Centro de Ensino Especial que tinha como prática atender o Ensino Regular juntamente com o Ensino Especial. “Percebendo o grande benefício que a experiência possibilitava aos alunos, protelamos ao máximo a saída do Ensino Regular. Porém por orientação e por questão de regulamentação, teríamos que limitar o atendimento aos alunos com deficiência e ao Programa de Educação Precoce e aqueles que tivessem condições deveriam ser incluídos no Ensino Regular,” informou Íris Marlei Lopes dos Reis.

Fonte: Késia Paos

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.