As competições começam nesta quinta (31) e os estudantes disputam medalhas em natação, bocha e atletismo

Tainá Morais, Ascom/SEEDF

As aguardadas competições das Paralimpíadas Escolares 2023 começam nesta quinta-feira (31) e a delegação de atletas do Distrito Federal, composta, em sua maioria, por alunos da rede pública de ensino, está pronta para competir por medalhas nas três modalidades disputadas. Este ano, 86% dos atletas do Distrito Federal são provenientes de escolas da rede pública da região. Dos 51 atletas que representam a capital federal, 44 são estudantes da rede pública. A estatística mostra o comprometimento da Secretaria de Educação do Distrito Federal em promover a inclusão de alunos com deficiência tanto dentro das salas de aula, como nas quadras de esporte.

Durante a cerimônia de abertura, que aconteceu na tarde desta quarta-feira (30), no Colégio Marista, na 615 Sul, o estudante do Centro de Ensino Fundamental 106 do Recanto das Emas Claiton Rogério do Santos representou os colegas no juramento dos atletas. “É muito bom e gratificante poder estar aqui e representar não apenas minha escola, mas também todos os estudantes da rede pública do DF. Somos jovens atletas, cheios de potencial, e estamos prontos para mostrar do que somos capazes nas competições”, ressaltou o atleta do atletismo.

Para a secretária de Educação do DF, Hélvia Paranaguá, a presença marcante dos estudantes da rede pública do DF nessa competição ressalta a importância do apoio educacional e social na promoção da inclusão. “Os Jogos Escolares não apenas celebram as conquistas esportivas, mas também destacam os valores de respeito, disciplina e inclusão”, destaca a gestora.

A delegação de atletas do DF também é composta por estudantes da rede privada. Luanna Rosa, 12 anos, estudante do Colégio Marista, atleta da bocha, destaca a importância da diversidade no mundo esportivo. “É inspirador ver tantos estudantes especiais competindo com paixão e determinação. O esporte não apenas quebra barreiras físicas, mas também mentais, mostrando que todos nós temos um lugar no campo de jogo”, afirma Luanna.

Com estudantes da rede pública e privada representando o DF, o objetivo da equipe além de disputar medalhas é inspirar futuras gerações de atletas com deficiência.

Fonte: Secretaria de Estado de Educação do DF