O jornalista Thiago Rodrigues, de 34 anos, pré-candidato à prefeitura de Guarujá (São Paulo), foi assassinado a tiros na noite desta quarta-feira (27). O crime aconteceu no bairro de Pae Cará, Guarujá, onde ele participava de uma confraternização. Policiais militares que atenderam ao chamado encontraram, perto do corpo da vítima, dois celulares.

Também foram encontrados na área estojos vazios de munição calibre 9mm. O carro utilizado por Thiago estava no endereço do crime.

De acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública, a corporação foi acionada após a vizinhança ouvir o barulho de disparos de arma de fogo. O caso foi registrado na delegacia de Guarujá e encaminhado ao 2ºDP, que irá apurar os fatos.

Em nota, o núcleo estadual da Rede Sustentabilidade disse que, mesmo com a investigação em estágio inicial, não se pode descartar a possibilidade de que Rodrigues tenha sido executado por causa de disputas políticas. Na mensagem, o partido pontua que o que leva a crer que o crime tem relação com esse tipo de interesse é a trajetória que o jornalista tinha, pois se esforçava para denunciar casos de corrupção no município.

“Confiantes no trabalho meticuloso das forças de segurança em São Paulo, a Rede Sustentabilidade exige o máximo rigor na apuração dessa execução, reforçada por nossa deputada estadual Marina Helou, que já oficiou os canais competentes do governo do estado, solicitando a celeridade que o caso pede”, escreve o núcleo estadual, que finaliza a nota prestando condolências à família da vítima.

Matéria ampliada às 16h37

Fonte: Agência Brasil