Foto: Reprodução

O governador Ibaneis Rocha e o presidente da Câmara Legislativa Rafael Prudente poderão sair vitoriosos ou envergonhados da renovação que tentam fazer no MDB-DF. Há meses, quando Ibaneis participou da reunião do MDB Nacional com o presidente ex-senador Romero Jucá, o governador, que chegou acompanhado de Tadeu Filippelli, discursou eticamente querendo a saída do partido, dos políticos presos.

Um dia após o discurso de Ibaneis, o ex-presidente Michel Temer foi preso como peça chave da Operação Lava Jato da polícia federal que investiga o dinheiro de Angra III no Rio de Janeiro, que possivelmente foi distribuído no partido. Solidário, o governador foi manchete nacional por emprestar seu avião para Temer voltar para casa, quando saiu da prisão.

A renovação no MDB é um sonho antigo de muitos filiados, mas parece que a sigla pode não começar a limpeza necessária neste momento, por um simples fato: os presos do MDB sabem muito dos que ainda não foram presos. A prova disso são os gritos de uma possível delação do ex-deputado Eduardo Cunha. Assim como Eduardo Cunha sabe muito, com certeza Tadeu Filippelli também sabe e esse fator crucial pode atrapalhar a solicitada intervenção nacional no DF.

A convenção do diretório do DF continua marcada para o dia 06/05 às 14 horas no auditório da sede do MDB-DF. Ou seja: até agora, a executiva nacional não se manifestou em atender o pedido do deputado Rafael Prudente e do governador Ibaneis Rocha para cancelar a convenção.

Nos bastidores circula a conversa de que o govenador sabe de uma possível prisão do atual presidente do MDB-DF, e que para não ser vítima de escândalos, Ibaneis prefere tirar o amigo Filippelli, que (para Ibaneis) já passou da hora de sair da presidência do partido.

Se a convenção acontecer realmente no dia 06/05, Filippelli corre o risco de ser traído pelos amigos já nomeados no governo Ibaneis, que possivelmente não perderão seus cargos para agraciar Filippelli. Na verdade, todas as siglas teriam que se reinventar após escândalos no partido.

Em busca do poder de uma das maiores siglas partidárias do Brasil está o fundo partidário público e o tempo de TV que o MDB tem. Rafael Prudente pode ser o futuro presidente do partido, mas prudente mesmo, neste caso, é a serpente, que sabe aguardar o momento correto de se manifestar.

Cris Oliveira

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.