20 C
Distrito Federal
22/09/2020 - 23:31 PM

As Quentes da política do DF

MP 971/20 em pauta Está em pauta na Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (17), a medida provisória 971/20 que trata do aumento salarial  da força...
More

    Morre Marcelo Yuka, fundador da banda O Rappa, aos 53 anos

    Ele estava internado desde dezembro em hospital no Rio

    músico Marcelo Yuka, ex-baterista, ex-letrista e fundador do grupo carioca O Rappa, morreu na noite desta sexta-feira (18), às 23h40, aos 53 anos.

    Yuka estava internado há duas semanas no hospital Quinta D’Or, zona norte do Rio de Janeiro, para tratar infecções.

    Na sexta-feira (4), contudo, o quadro do músico piorou, gerando boatos – posteriormente não confirmados – de que ele teria morrido.

    Segundo Geraldinho Magalhães, empresário do artista, o músico ainda estava vivo e foi colocado em coma induzido após ter sofrido um AVC. A causa da morte foi um episódio de AVC isquêmico.

    Trajetória

    Marcelo Fontes do Nascimento Viana de Santa Ana nasceu no Rio de Janeiro, em 31 de dezembro de 1965.

    Ele foi o baterista e o compositor de sucessos como “Minha Alma (A Paz que Eu Não Quero)”, do grupo O Rappa, que fundou em 1993 com o baixista Nelson Meirelles, o tecladista Marcello Lobatto e o guitarrista Alexandre Meneses.

    A eles se somaria o cantor Marcelo Falcão, integrado ao grupo após ver um anúncio da banda em um jornal e ser aprovado em testes. No ano seguinte, a banda lançou o álbum “O Rappa”. 

    + Adiada cirurgia de Caio Junqueira; mãe diz que ele está ‘reagindo bem’

    Iza regrava ‘Divino Maravilhoso’, sucesso na voz de Gal, com Caetano

    A partir de 1996, Yuka alcançaria sucesso nacional com o segundo álbum da banda, “Rappa Mundi”, de músicas como “Pescador de Ilusões” e a versão de “Vapor Barato”, de Waly Salomão e Jards Macalé.

    As ótimas receptividades de público e crítica se repetiram no terceiro disco do grupo, “Lado B Lado A”, de temas como “Me Deixa”.

    Àquela altura, a mescla de estilos como rock, reggae, rap e samba já faziam d’O Rappa uma das principais bandas do rock brasileiro.

    Seus integrantes passaram a ser compreendidos como porta-vozes de um discurso que reverberava as injustiças sociais cometidas cotidianamente nas periferias e a efervescência política do Rio de Janeiro do fim do século 20, como na música “Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro”.

    Vítima da violência

    Em 9 de novembro de 2000, Marcelo Yuka tornou-se vítima da violência no Rio, uma das mazelas da qual tornou-se cronista.

    Naquela noite, o músico ficou paraplégico após ser atingido por nove tiros ao tentar impedir que bandidos assaltassem o carro de uma mulher na frente do seu.

    Depois disso, ficou impossibilitado de tocar bateria e passou a enfrentar a depressão.

    “Eu não sei muito bem o que aconteceu. Eu só sei que eu sou baterista, tomei tiros, tô paraplégico e minha vida acabou”, rememorou o músico em entrevista para o documentário “Marcelo Yuka no Caminho das Setas” (2011), da diretora Daniela Broitman.

    A minha grande pergunta é: o que eu preciso para viver em paz?”

    Na obra, ele afirma ainda: “Eu não conseguia ver O Rappa apenas como uma banda de música e cumprindo só o papel de uma banda pop.”

    Em 2001, o músico foi expulso d’O Rappa após brigar com os demais membros – a banda anunciaria seu término no ano passado, após uma turnê de despedida marcada por evidências de um racha entre os músicos, que já não se falavam nem em cima do palco.

    “Muitos do que estão no Rappa fui eu que coloquei. Quando tomei os tiros, tinha 34 anos, mas, sinceramente, parece algo que vivi na adolescência. Não me interesso sobre isso, brigas, se a qualidade do som é boa ou ruim, se estão com grana ou não. Isso não quer dizer que eu queira mal. Só não tenho interesse”, disse o músico à Folha de S.Paulo sobre o fim da banda que ajudou a fundar.

    Depois disso, passou a se dedicar à banda Furto, sigla para Frente Urbana de Trabalhos Organizados e nome também de um projeto social que empreendeu.

    Nos últimos anos, Yuka acumulou diversos problemas de saúde, como crises renais, infecções e acidentes vasculares.

    Em novembro de 2016, ele passou semanas internado em uma UTI graças a um quadro infeccioso.

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    São Paulo Companhia de Dança inicia exibição online da Temporada 2020

    A São Paulo Companhia de Dança (SPCD) fará a exibição de sua Temporada 2020 neste mês de setembro. As próximas exibições serão nos dias...

    “Pensando Oscarmente”: iniciativa oferece exposição online e cinco oficinas de capacitação em gestão cultural

    Ícone do Modernismo, Brasília completa 60 anos se reinventando. Com a pandemia de Covid-19, as celebrações do aniversário da Capital Federal, que ocorreu em...

    Um resgate da origem da construção de Brasília

    No coração da Vila Planalto, cinco casarões guardam a memória da criação de Brasília. Elas formam o Conjunto Fazendinha, que serviu para moradia de...
    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Reforço de 13 carros e 25 GPSs para trabalho no campo

    “O Brasil só tem saída desta pandemia pelo trabalho do agronegócio. E o agronegócio tocado no DF pela Emater, Ceasa e Secretaria de Agricultura...

    Mais prazo para credenciamento do comitê de revisão do Pdot

    A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) anunciou que vai prorrogar por seis meses, a contar desta segunda-feira (21) o prazo de credenciamento...

    Dia Mundial sem Carro ganha ação educativa na Rodoviária do Plano

    Servidores do DER-DF interagiram com o público durante a campanha | Foto: Divulgação/DER-DFNa sequência das atividades em comemoração à Semana Nacional do Trânsito, a...

    Senado aprova prorrogação do contrato de profissionais de saúde no Rio

    O Senado Federal aprovou hoje (22) a Medida Provisória (MP) 974/20, que autoriza o Ministério da Saúde a prorrogar contratos de trabalho de 3.592 profissionais temporários...

    Vagas de até R$ 3,5 mil de salário nesta quarta-feira (23)

    As agências do trabalhador do Distrito Federal estão com 415 vagas de emprego abertas para esta quarta-feira (22). Os salários oferecidos variam entre R$...