20.2 C
Distrito Federal
sexta-feira, 29 maio, 2020

As Quentes da Política do DF

Inquéritos das Fake News Oito deputados ligados ao presidente Bolsonaro são alvo da operação da Polícia Federal que investiga Fake News na internet contra os...
More

    Estudo identifica que cloroquina aumenta risco de arritmia cardíaca

    - PUBLICIDADE -


    Um artigo científico publicado hoje (22) na revista médico-científica The Lancet afirmou que não houve melhora significativa na condição de saúde de pacientes medicados com quatro protocolos diferentes de cloroquina e hidroxicloroquina.

    Feito por um grupo de cardiologistas, o foco da pesquisa foi identificar arritmias cardíacas e mortalidade hospitalar em pessoas sob o efeito dos medicamentos. O estudo foi realizado em um grupo multinacional de pacientes espalhados por 671 hospitais do mundo. Ao todo, 96.032 pacientes participaram dos testes, sendo que cerca de 15% total – 14.888 pessoas – foram medicados.

     
    Protocolo 01 – Apenas cloroquina Protocolo 02 – Cloroquina e antibióticos Protocolo 03 – Apenas hidroxicloroquina Protocolo 04 – Hidroxicloroquina e antibióticos
    1.868 pacientes 3.783 pacientes 3.016 pacientes 6.221 pacientes

    De acordo com a pesquisa, a mortalidade nos grupos que usaram as diferentes variações de protocolo baseadas na cloroquina ficou em 9,3% – acima do número do grupo de controle, as outras 81.144 pessoas. Neste grupo, que não foi medicado da mesma maneira, a taxa ficou em 0,3%.

    De acordo com o artigo, condições de saúde pré-existentes, como diabetes, doenças cardíacas, índice de massa corporal (IMC), doenças pulmonares e tabagismo não foram consideradas, já que poderiam influenciar nos resultados.

    Apesar da indicação de ineficácia dos protocolos que usam combinações de cloroquina e hidroxicloroquina, os autores do levantamento afirmam que a análise não é definitiva, e que mais estudos serão necessários para o diagnóstico final do uso das drogas.

    Substâncias

    Metabolizada pelo fígado, a cloroquina já é uma droga conhecida e regulada por instituições de saúde mundiais. A substância foi patenteada há cerca de 70 anos, e tem o uso comprovadamente eficaz no combate à malária, artrite reumatóide e nos sintomas de doenças autoimunes, como lúpus. A variação mais nova da cloroquina, a hidroxicloroquina, pode ser tomada por mulheres gestantes, mas provoca alguns efeitos adversos, entre eles náusea, vômitos e, em casos mais severos, arritmia cardíaca.

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Homem é preso por porte ilegal de arma de fogo no Riacho Fundo II

    Um homem foi preso por ilegal de arma de fogo, na noite de quinta-feira (28), na QN 8D, conjunto 1 do Riacho Fundo II. A...

    Investigado por desvios na saúde, Edmar Santos deixa o governo Witzel

    O governo do estado do Rio confirmou agora à noite que Edmar Santos pediu exoneração ao governador Wilson Witzel do cargo de secretário extraordinário...

    Setur orienta artesãos do DF para retomada de atividades

      Abertura gradual do comércio impulsiona o artesanato local; orientações de preservação da saúde são seguidas à risca | Foto: Luís Tajes / Setur O artesanato...

    PMDF apreende mais de R$ 25.000 proveniente de provável tráfico de drogas

    Policiais militares do Grupo Tático Operacional 24 (Gtop 24), prenderam dois homens e apreenderam cerca de R$ 25.000 e substâncias que aparentam ser maconha...

    Respeito às normas marca a luta contra coronavírus

    A luta do Governo do Distrito Federal (GDF) contra o coronavírus, causador da Covid-19, vai além do esforço concentrado nas áreas de saúde, segurança...