14.4 C
Distrito Federal
02/07/2020 - 09:23 AM

As quentes da política do DF

Ibaneis recebe voto de louvor no Piauí A Assembleia Legislativa do Estado do Piauí aprovou voto de louvor a Ibaneis Rocha pela postura adotada pelo...
More

    Celso de Mello rejeita pedido para apreender celular de Bolsonaro


    O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou na noite de ontem (1º) um pedido feito por partidos de oposição para que o celular do presidente Jair Bolsonaro fosse apreendido na investigação sobre a suposta interferência política do mandatário na Polícia Federal (PF).

    O ministro acolheu o argumento do procurador-geral da República, Augusto Aras, que em manifestação enviada ao Supremo frisou caber somente ao Ministério Público a iniciativa de propor diligências em investigação penal, não sendo legítimo que terceiros façam requerimentos do tipo.

    “Não se pode desconhecer que o monopólio da titularidade da ação penal pública pertence ao Ministério Público, que age, nessa condição, com exclusividade, em nome do Estado”, concordou Celso de Mello.

    O pedido havia sido feito por meio de uma notícia-crime aberta pelo PDT, PV e PSB no Supremo depois de acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro ao pedir demissão do cargo em abril. As legendas pediam a apreensão também dos celulares do filho do presidente, Carlos Bolsonaro, e da deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

    Apesar de ter rejeitado o requerimento dos partidos, Celso de Mello dedicou ao menos oito páginas a ressaltar a importância do cumprimento de decisões judiciais, sejam elas de qualquer tipo e direcionadas a qualquer autoridade dos três Poderes.

    O decano do Supremo fez as considerações com base em “notícias divulgadas em meios de comunicação social”, dando conta de que Bolsonaro poderia não entregar seu aparelho celular em caso de decisão judicial nesse sentido.

    “Em uma palavra: descumprir ordem judicial implica transgredir a própria Constituição da República, qualificando-se, negativamente, tal ato de desobediência presidencial e de insubordinação executiva como uma conduta manifestamente inconstitucional”, afirmou o ministro.

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Mulheres são maioria no Cadastro Único do Distrito Federal

    Das 166.872 famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais no DF, 136.448 têm uma mulher como responsável. Dentro da política de assistência social...

    PMDF prende assaltantes no Recanto das Emas

    Os policiais militares do 27º Batalhão prenderam três pessoas por tentativa de assalto na quadra 106, no Recanto das Emas, por volta das 21h30,...

    Colégios católicos arrecadam equipamentos para a rede pública

    O empenho em ajudar estudantes da rede pública que não possuem equipamentos para acessar a internet ganhou aliados importantes. Em iniciativa conjunta da Secretaria...

    PMDF prende mulher traficando na Ceilândia

    Os policiais da ROTAM prenderam uma mulher por tráfico de entorpecentes na QNR 03, da Ceilândia, por volta das 17h30, dessa quarta-feira(01).A equipe da...

    Após 27 mil demissões, bares e restaurantes do Rio reabrem hoje

    Após cem dias com as portas fechadas ou trabalhando apenas com entregas e retiradas, por causa das medidas restritivas impostas para conter a pandemia...