Mino Pedrosa

Especial para o Jornal de Brasília

O sistema de Transporte do Distrito Federal não poderia ficar de fora, pois se trata da maior arrecadação diária do Governo. A Transportes Coletivos de Brasília (TCB), por exemplo, pode ter sido levada à falência para dar espaço a grupos empresariais, como os que rezam na cartilha de Durval.

Em 2009, Durval se reuniu com o futuro candidato petista ao Palácio do Buriti, Agnelo Queiroz, em um encontro que pode ter começado a selar a sorte do então governador José Roberto Arruda e facilitado a vitória do futuro governante. No 10º andar do Anexo do Palácio, em seu gabinete, quando era o Secretário de Articulação Institucional do GDF, Durval Barbosa recebeu Agnelo dos Santos Queiroz Filho. No encontro teriam sido selados acordos que foram registrados em gravações que permanecem em poder do delator. Dias depois, Durval Barbosa procurava o Ministério Público para buscar a delação premiada que o livraria de vários processos.

A delação resultou no maior escândalo político da capital e culminou com a queda do comando do GDF. O delator entregou ao MP gravações, mas guardou com ele a bomba que pode estar sendo detonada agora pelo presidente da Comissão de Licitação de Transporte Galeno Furtado Monte, que assessorou Durval durante anos.

 Delator também foi gravado

Procurado pela imprensa, Durval Barbosa se esquivou de detalhes e disse apenas que Galeno teve uma passagem meteórica de menos de um ano na Codeplan e que foi demitido por incompetência. Mas não é bem assim. Documentos da Codeplan (veja facsimile) registram uma relação de subordinação direta de Galeno para Durval de pelo menos três anos, entre 1999 e 2002, como chefe de gabinete.

O interesse de Durval pelo Transporte também ficou registrado na conversa gravada pelo secretário de Transporte do governo Arruda, o deputado Alberto Fraga.

Mesma bala

Durval, que tinha o hábito de gravar e filmar todas as conversas nada ortodoxas acontecidas em seu gabinete, visitou o colega Alberto Fraga e foi atingido pela mesma bala. Fraga grampeou o delator da Caixa de Pandora. Nos diálogos gravados por Fraga, Durval Barbosa pergunta como andam as licitações na área dos Transportes. Fraga responde que “a grande está com problemas, mas vai sair.”

A fita foi mantida pelo coronel Alberto Fraga em cofre particular num bunker. No inquérito aberto pelo governo Agnelo para apurar irregularidades na área dos Transportes, Alberto Fraga foi o alvo principal. A polícia fez busca e apreensão no bunker do coronel e resgatou o segredo guardado a sete chaves. O inquérito foi remetido ao  Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ainda está tramitando.

Fonte: Da redação do clicabrasilia.com.br

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.