20 C
Distrito Federal
22/09/2020 - 01:43 AM

As Quentes da política do DF

MP 971/20 em pauta Está em pauta na Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (17), a medida provisória 971/20 que trata do aumento salarial  da força...
More

    Pesquisadores apresentam dados inéditos sobre dinossauro brasileiro


    Pesquisadores do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, divulgaram hoje (15) dados inéditos de uma pesquisa sobre o crescimento óssea da espécie do dinossauro Vespersaurus paranaensis. O estudo foi conduzido em parceria com Centro Paleontológico da Universidade do Contestado, instituição sediada no Paraná. Ele revela que esse animal poderia viver entre 13 e 14 anos e atingiam a maturidade sexual entre os 3 e 5 anos de idade.

    O Vespersaurus paranaensis foi uma espécie de dinossauro de pequeno porte, com 1,5 metros de comprimento. Ele viveu no período Cretáceo, entre 90 e 70 milhões de anos atrás, no noroeste do Paraná. Nesta época, parte do Centro-oeste, do Sudeste e do Sul do Brasil formavam o Deserto Caiuá. A espécie habitava o entorno de áreas úmidas, possivelmente um oásis. Nesta mesma região, também já foram encontrados fósseis de lagartos extintos e de duas espécies de pterossauros.

    Graças ao grande número de fósseis preservados do Vespersaurus paranaensis, foi possível traçar um panorama mais completo e confiável sobre como esses animais se desenvolviam, qual eram suas taxas de crescimento e quanto tempo levavam para se tornarem adultos. A técnica da osteohistologia, empregada no estudo, consiste na retirada de fragmentos do osso, através de cortes com serras elétricas. Por ser relativamente destrutiva, costuma ser usada apenas quando há abundância de fósseis.

    A pesquisa constatou ainda a existência de um tipo de tecido ósseo incomum para os dinossauros, conhecido como paralelo-fibroso. Ele é caracterizado por um alto grau de organização das fibras de colágeno contida nos ossos e demanda mais tempo para se formar ao longo do crescimento do animal. Assim, as taxas de crescimento do Vespersaurus paranaensis eram provavelmente mais lentas do que o observado em outros dinossauros e mais similares a de jacarés e crocodilos.

    A hipótese dos pesquisadores é de que a desaceleração do crescimento desses animais estaria relacionado com o seu tamanho corpóreo. Também é possível que seja uma adaptação ao ambiente árido onde viviam.

    O trabalho integrou a pesquisa de mestrado de Geovane Alves de Souza, financiada com bolsa Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Mobilizou ainda outros seis cientistas: Arthur Brum, Juliana Sayão, Maria Elizabeth Zucolotto, Marina Soares, Luiz Weinschütz, além do paleontólogo e diretor de Museu Nacional, Alexander Kellner.

    De acordo com nota divulgada pelo Museu Nacional, as descobertas revelam a importância do financiamento de bolsas de pós-graduação, lançando luz sobre como os dinossauros viveram em um mundo de constante mudança climática e quais os mecanismos e estratégias de sobrevivência existiam no passado do planeta. “Apesar dos dinossauros fascinarem tanto cientistas quanto o público leigo, muitas perguntas sobre seu crescimento, metabolismo e anatomia ainda permanecem sem respostas”, diz o texto.

    Vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o Museu Nacional vem se reconstruindo desde o grave incêndio ocorrido em sua sede em 2018.  De acordo com a instituição, essa pesquisa inédita surge em momento oportuno e reforça a sua capacidade de produzir ciência de ponta e de qualidade. Os resultados do estudo também foram divulgados na PeerJ, revista científica internacional focada em ciências biológicas e ciências médicas.

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    TST determina fim da greve nos Correios

    O Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu determinar o fim da greve dos funcionários dos Correios e o retorno ao trabalho a partir de...

    Semana do Trânsito prioriza atenção às pessoas com deficiência

      O semáforo acende a luz vermelha, os carros param e um sinal sonoro alerta o motorista para a possibilidade de travessia de uma pessoa...

    TRANSPORTE ESCOLAR-Detran suspende fiscalização do prazo de validade de autorização

    ODepartamento de Trânsito do Distrito Federal publicou, no Diário Oficial desta segunda-feira (21), a Instrução nº 702, de 17 de setembro de 2020, que...
    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Vila Nova derrota Imperatriz pela Série C do Campeonato Brasileiro

    O Vila Nova chegou à terceira vitória na Série C do Campeonato Brasileiro ao passar pelo Imperatriz por 3 a 0, na partida que...

    Após esfaquear homem e carbonizar o corpo, menor de idade é apreendido por homicídio em São Sebastião

    Um adolescente de 17 anos foi apreendido por ato infracional análogo ao crime de homicídio, na noite desta segunda-feira (21), na chácara 66, Morro...

    Série B: Brasil de Pelotas derrota Botafogo-SP fora de casa

    O Brasil de Pelotas chegou a quatro jogos de invencibilidade e conquistou a primeira vitória fora de casa na Série B do Campeonato Brasileiro...

    A chuva chegou! Tome cuidado em casa, na rua e no trânsito

    No trânsito, especialmente, todas as precauções devem ser redobradas | Foto: Acácio Pinheiro/Agência BrasíliaApós mais de 100 dias de ausência, a chuva voltou a...

    Senado: sessão semipresencial sabatina e aprova novos embaixadores

    O primeiro dia de sessões semipresenciais no Senado foi movimentado, mais especificamente na Comissão de Relações Exteriores (CRE). Foram 34 sabatinas ao longo de...