23 C
Distrito Federal
22/09/2020 - 13:43 PM

As Quentes da política do DF

MP 971/20 em pauta Está em pauta na Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (17), a medida provisória 971/20 que trata do aumento salarial  da força...
More

    PELA PRIMEIRA VEZ, ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS PRATICA PARIDADE EM ELEIÇÕES



    Há algo se movendo na Academia Brasileira de Ciências, finalmente. A instituição de 103 anos de idade que nunca teve uma mulher eleita para a presidência em 49 mandatos – e apenas duas vice-presidentes neste período – acenou esta semana com uma planilha que reflete em algum grau o avanço da presença feminina na ciência brasileira.

    Na eleição dos novos membros titulares da ABC, metade dos novos nomes são de mulheres. Elas são 7 dos 14 renomados pesquisadores que passam a compor o grupo de “cientistas radicados no Brasil há mais de 10 (dez) anos, com destacada atuação  científica”, como está definida a categoria “Titulares”.

    Mas como a história da instituição está marcada por uma desigualdade abissal de gênero, até a semana passada eram 467 homens titulares diante de 86 mulheres (16%).

    Com a eleição, nada muda estruturalmente na proporção. Reunindo toda a representatividade feminina entre os membros, indo além dos mais destacados e somando também os afiliados, que são jovens pesquisadores de excelência, e os membros correspondentes, que estão radicados no exterior há mais de uma década, elas são 16,4% do total. Isso mesmo: mais de 80% da Academia Brasileira de Ciências é composta por homens.

    Na ABC não se faz ciência como nos laboratórios, mas sim política. Discute-se o campo, articula-se políticas públicas, busca-se mais espaço para a ciência brasileira e seus cientistas. Logo, é um espaço de poder e de projeção de cientistas na sociedade.

    Embora a Academia exista desde 1916, a primeira mulher que consta nos registros como eleita, a química Aída Hassón-Voloch, entrou apenas em 1962. Carioca, filha de judeus, Hassón-Voloch já acumulava uma especialização em bioquímica na Universidade de Cambridge e outra na Universidade de Nova York quando foi aceita pelos homens como nome à altura da ABC.

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    O macho alfa não vale a pena o esforço

    Em entrevista concedida à Agência Efe por escrito, ela disse que este tipo de homem anda sendo super valorizado, mas que ela acredita que...
    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Governo cria Cadastro Ambiental Urbano

    O Ministério do Meio Ambiente (MMA) lançou o Cadastro Ambiental Urbano (CAU), um aplicativo com informações sobre as áreas verdes nas cidades. O objetivo do...

    Secretário-geral da ONU pede acordo global contra desigualdades

    O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, pediu hoje (22) no discurso de inauguração da 75ª Assembleia Geral por um cessar-fogo...

    Secretaria de Economia agora é 100% digital

    A notícia já seria boa. Mas, em tempos de pandemia, é ainda melhor. Todos os serviços oferecidos pela secretaria de Economia à população estão...

    PRF apreende drogas diversas na BR 020 próximo a Sobradinho (DF)

    A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, na noite desta sexta-feira (18/09), na BR 020, em Sobradinho (DF), 19 unidades de ecstasy e 10g de...

    Bolsonaro exonera Novaes do cargo de presidente do BB

    O presidente da República, Jair Bolsonaro, exonerou, a pedido, o presidente do Banco do Brasil, Rubem de Freitas Novaes, e nomeou em seu lugar...