30 C
Distrito Federal
12/09/2020 - 15:36 PM

As Quentes da Política do DF

Operação Gutemburgo nas ruas Mais uma vez o Governo Dilma e Agnelo é lembrado por uma operação deflagada pelo MPDFT. Dessa vez a operação Gutemburgo...
More

    Seca e calor agravam até a chegada das chuvas


    | Foto: Paulo H. Carvalho

    O Distrito Federal tem apresentado baixa umidade do ar e temperaturas elevadas. Nesta sexta-feira (11/09), os termômetros registraram o dia mais quente deste ano, com índice de umidade relativa do ar de 10%. Com a situação crítica, a Defesa Civil emitiu sinal de alerta na capital da República. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), na Ponte Alta do Gama a temperatura máxima chegou a 33,1°C e, na área central de Brasília, a 31,3°C.

    Conforme o Instituto Nacional de Meteorologia, neste sábado (12), as temperaturas variam entre 18° e 30º e a umidade entre 40% e 15%. No domingo, 15° e 30º e 70% e 20% de umidade. Conforme o subsecretário da Defesa Civil, coronel Alan Alexandre Araújo, a tendência é de que o índice permaneça baixo até a chegada da chamada “chuva do caju”.

    “Ao final do inverno para início da primavera, normalmente temos esse período, que é quando temos frutos nos pés, quando chove o suficiente para brotar nos cajueiros as primeiras flores frutos”, explica o coronel.

    A orientação da Defesa Civil é de que as pessoas se mantenham hidratadas, fazendo bastante ingestão de água e evitando exposição ao sol.

    Agosto mais quente

    O mês de agosto há quase dez anos se revela como o mais quente do ano para a população do Distrito Federal. Em 2020, não foi diferente. Estado de alerta declarado, oscilação recorde de temperatura e desconforto para o brasiliense, que sofre com o calor e a baixa umidade. A constatação vem dos números dos boletins de temperatura e umidade do ar do Instituto Brasília Ambiental, divulgados mensalmente para conhecimento da população.

    Agosto registrou números extremos de temperatura no Gama. No dia 27, os termômetros apontaram 6,5°C na região. Já no dia 19, acusaram 33,2°C. Índices nada comuns para a capital federal. A umidade caiu a 11% em algumas regiões. E além disso, de 2013 em diante, o mês sempre esteve acima da média de temperatura calculada pelos meteorologistas para essa época de seca e final do inverno.

    E não pára por aí. É possível afirmar que em 2016 tivemos o mês 8 mais quente em quase 40 anos (desde 1981). Naquele ano, a temperatura máxima esteve sempre três graus acima da média.

    “Já são oito anos que agosto apresenta temperaturas máximas acima da normal climatológica (média do período estudado). Às vezes, nossa memória é fraca mas realmente é uma época crítica”, lembra o analista do Ibram e meterologista, Carlos Rocha. Ele é um dos responsáveis pelos cadernos lançados pelo Instituto.

    Professor e pesquisador da UnB, o geógrafo Rafael Franca explica que o bioma cerrado favorece a amplitude térmica e em tempos de seca há um aumento na pressão atmosférica. “É natural que isso tudo seja consequência da estiagem no DF. Mas vale lembrar que tivemos um aumento de 1 grau na temperatura do planeta”, informa.

    “Na região oeste do Estados Unidos, por exemplo, observamos um estado em que um dia a temperatura alcançou quase quarenta graus e no outro nevou”, exalta Franca.

    Árvores e parques em abundância

    É sabido que o plantio de árvores, a vegetação em abundância e o não às queimadas são medidas importantes para enfrentar o aquecimento, que é também global. Nesse caso, GDF está no caminho certo e não economiza nas árvores. Segundo a Novacap, de janeiro até o momento foram plantadas 35 mil em todas as regiões administrativas.

    De acordo com Raimundo Silva, chefe do Departamento de Parques e Jardins (DPJ) da Novacap, se não fosse essa arborização, Brasília seria um deserto. “Temos aqui um clima de deserto, com temperaturas que variam de 14° a 35º em um mesmo dia. A floresta urbana que temos é benéfica e amplia a sensação de unidade”, afirma o chefe da DPJ.

    Raimundo afirma que a meta é plantar mais 120 mil mudas até o início de 2021 em todo o DF.

    Em Taguatinga, a Estrada Parque Taguatinga (EPTG) ganhou em janeiro o apelido de IpêTG. A companhia urbanizadora plantou duas mil mudas do vistoso ipê amarelo que logo vão ajudar no controle climático da região.

    Em todo o DF, são aproximadamente 5 milhões de árvores – recorde em todo o país. “As árvores, dentre tantos outros benefícios, fazem uma regulação climática muito eficiente. Deixam o ar mais úmido, trazem a sombra e são fundamentais nesse controle da temperatura”, aponta o engenheiro agrônomo da Emater, Sumar Magalhães.

    Os parques também não ficam pra trás. A atual gestão reformou 12 deles de um total de 20 regularizados nos últimos anos. Ontem (11), por sinal, foi entregue a primeira etapa das obras do Parque Ecológico do Tororó. Exatamente, no Dia do Cerrado.

    Conservação da água

    A Emater também trabalha com projetos voltados para a compensação ambiental. Um deles é o “Produtor de Água no Pipiripau”.

    “Orientamos principalmente a população rural a evitar o desmatamento, incentivamos o plantio de árvores e o manejo e conservação da água e do solo. O solo é um grande reservatório de água que temos”, destaca Magalhães.

    Contribuições importantes para enfrentar altas de temperatura tão comuns em todo o Brasil, os boletins climáticos, para quem gosta de entender o tempo, estão disponíveis no portal do Brasília Ambiental. São três modalidades: de temperatura, de umidade relativa do ar, e o de precipitação (edição somente nos meses chuvosos, no caso a partir de novembro). O endereço é o: www.ibram.df.gov.br

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    Clínica da mulher em ritmo acelerado

    Localizada na 514 sul, a clínica da mulher terá 15 consultórios, salas de exames, vacinas, triagem e uma farmácia| Foto: Paulo H.Carvalho/Agência BrasíliaParedes na...

    Mais de 70 mil bocas de lobo limpas à espera das chuvas

    O trabalho de limpeza na rede pluvial está sendo feito em parceria com as Administrações Regionais, que conhecem os pontos críticos das cidades |...

    Codeplan lança novo Atlas do Distrito Federal

    A Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) publica neste sábado (12), o novo Atlas do Distrito Federal. A publicação, dividida em oito capítulos,...
    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    LNB veta participação de Botafogo no NBB

    O Botafogo teve o pedido de inscrição negado para disputar a temporada 2020/2021 do Novo Basquete Brasil (NBB), pois não cumpriu todas as exigências...

    PMDF apreende drogas em casa usada para guardar objetos roubados

    Policiais militares do Grupo Tático Operacional do 4º Batalhão (Gtop 24) prenderam dois homens suspeitos de roubo a residência, às 17h40 desta sexta-feira (11)....

    Clínica da mulher em ritmo acelerado

    Localizada na 514 sul, a clínica da mulher terá 15 consultórios, salas de exames, vacinas, triagem e uma farmácia| Foto: Paulo H.Carvalho/Agência BrasíliaParedes na...

    Em Campinas, Guarani e Brasil de Pelotas empatam sem gols

    Guarani e Brasil de Pelotas empataram na manhã deste sábado (12) pela nona rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Com este resultado, alcançado...

    Mais de 70 mil bocas de lobo limpas à espera das chuvas

    O trabalho de limpeza na rede pluvial está sendo feito em parceria com as Administrações Regionais, que conhecem os pontos críticos das cidades |...