Foto: Adriana Ponce
Samambaia está completando neste mês de outubro 30 anos. Assim, entre as diversas programações de aniversário da cidade, está o “Desfile Cívico contra o Feminicídio”, que será realizado na sexta-feira (25), com concentração às 8h, na QR 402.  Organizado pelo Instituto “Mulheres, Feminicídio Não” e pela Administração Regional, o intuito é fortalecer o apoio do governo com a sociedade civil para um diálogo saudável sobre o tema.
O instituto começou suas atividades em março deste ano, utilizando o suporte da tecnologia para reunir pessoas em prol da luta contra o feminicídio, por meio de grupos no whatsapp e redes sociais. A causa surgiu após a presidente do movimento, Lúcia Erineta, ter sido vítima de violência doméstica e sofrido uma tentativa, por arma de fogo, tendo resultado em uma deficiência física.
Além disso, pelo número de vítimas desde o início do ano, cerca de 25 mulheres, o grupo buscou forças para se mobilizar pelas Regiões Administrativas do Distrito Federal e buscar conscientizar a população. Três cidades já receberam a caminhada, sendo elas Taguatinga, Planaltina e Guará. “Estamos trazendo essa caminhada para Samambaia, um convite do administrador Gustavo Aires e de toda sua equipe, pois tem muitos casos de agressores na região. Precisamos reeducá-los”, disse Lúcia.
Ela aproveita para convidar a comunidade de Samambaia para participar desse desfile cívico. “Cidade menina dos olhos, como dizia o estimado ex-governador Roriz, convido todos os homens e mulheres para esse momento”.
Mulheres, Feminicídio Não
O movimento vai além das caminhadas. As vítimas são acompanhadas até os Fóruns, a Defensoria e Ministério Público. Assim como incentivam à prática da denúncia aos agressores e realizam palestras em parceria com a Secretaria da Mulher do GDF.
Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.