16.6 C
Distrito Federal
06/08/2020 - 10:57 AM

As Quentes da Política do DF

Ex-secretário de transporte condenado Quem se lembra da fraude da licitação de transporte públicos no governo Agnelo? Pois é, o ex-secretário José Valter e o...
More

    Mulheres são maioria no Cadastro Único do DF


    Das 166.872 famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais no DF, 136.448 têm uma mulher como responsável. Dentro da política de assistência social coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), essas mães de família contam com atendimento nas unidades do Centro de Referência da Assistência Social (Cras), do Centro de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), dos Centros Pop e do Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, bem como nas unidades de acolhimento e especializadas em abordagem social.

    136.448
    Número de famílias inscritas no cadastro da Sedes que têm mulheres como chefes

    A Sedes ainda é responsável pela gestão dos programas de transferência de renda e pela oferta dos benefícios socioassistenciais. Em maio, 74.311 mulheres receberam o DF Sem Miséria, o auxílio do GDF para superação da extrema pobreza.

    Pelo Sistema Integrado de Desenvolvimento Social (Sids), as mulheres são as principais titulares dos benefícios, como o auxílio em situação de vulnerabilidade temporária, natalidade e excepcional. Há ainda o programa de segurança alimentar e nutricional, o Cartão Prato Cheio, para a compra de produtos alimentícios.

    Direitos garantidos

    “Os profissionais das nossas unidades socioassistenciais atuam para garantir os direitos dessas mulheres, dando a segurança prevista na política nacional: segurança de acolhida; de convívio e vivência familiar, comunitária e social; segurança de desenvolvimento de autonomia e segurança social de renda”, explica a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. “Nos atendimentos, busca-se respeitar a diversidade e promover a autonomia e participação social dessas mulheres.”

    A rede de atendimento do Sistema Único de Assistência Social (Suas) atua com destaque nos casos em que mulheres vivenciam situações de violência e violação de direitos. É onde entra o trabalho específico do Creas. Os profissionais buscam compreender as demandas e a complexidade da violência de gênero na interseção de diversas formas de dominação/discriminação, como classe social, raça, orientação sexual e situação de rua, entre outras.

    Observatório da Mulher

    Arte: Secretaria da Mulher

    São esses dados do Cadastro Único que ajudam a orientar as ações desenvolvidas no âmbito das políticas públicas. Para reunir todas essas informações de atendimento voltado às mulheres do DF, a Secretaria da Mulher (SM) lançou, na segunda-feira (29), o Observatório da Mulher.

    O portal é um canal que integra as informações sobre as ações das diversas instituições governamentais e não governamentais, o que contribuirá para a definição de prioridades, ampliará o conhecimento das demandas das mulheres, a integralidade e a intersetorialidade entre as diversas secretarias de governo.

    “Quando a gente cria um observatório, o que está sendo criado é transparência, para que a sociedade acompanhe toda a movimentação que envolve a formulação de políticas públicas para mulheres”, explica a secretária da Mulher, Ericka Filippelli. “Esse observatório traz diversas pastas para trabalho integrado e em cooperação. É um observatório em que todos nós somos donos.”

    Acesso ampliado

    O canal dará visibilidade às iniciativas do GDF voltadas para defesa e promoção dos direitos das mulheres, ampliando a divulgação das práticas bem-sucedidas. O observatório também poderá ser fonte para estudos e pesquisas. Mayara Noronha Rocha ressalta que a iniciativa otimizará os dados da rede de atendimento, o que contribuirá para ampliar o acesso das mulheres aos serviços socioassistenciais.

    “A Sedes disponibilizará, regularmente, dados relacionados ao Cadastro Único, aos programas de transferência de renda, aos atendimentos oferecidos em suas unidades”, informa a secretária de Desenvolvimento Social. “A ideia é publicar informações sobre a rede dos serviços socioassistenciais do DF, de modo a ampliar o acesso das mulheres, bem como suas iniciativas, ações e campanhas.”

    * Com informações da Sedes

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    Reparos na Ponte JK serão executados no período noturno

    * conteúdo atualizado às 16h16     Na manhã desta quarta-feira (5), a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) deu início aos reparos nas juntas...

    Brazlândia retoma grupo de tabagismo em meio digital

    Procura nas redes sociais resultou na ideia de atendimento a distância mesmo antes da pandemia | Foto: Agência SaúdeCom os encontros presenciais suspensos em...

    Programa GDF Presente chega a Sobradinho II

    Sai Planaltina, entra Sobradinho II: o Polo Norte do GDF Presente chegou nas ruas e estradas da região nesta quarta-feira (5) levando uma série...
    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Park Way tem novo administrador

    O deputado distrital Hermeto emplacou novamente o administrador do Park Way. O novo administrador Maurício Tomaz é bombeiro militar e cunhado de um conhecido...

    Governo certifica pontos de parada e descanso em rodovias

    O Ministério da Infraestrutura certificou nove locais como pontos de parada e descanso para motoristas de transporte de cargas e passageiros nas rodovias brasileiras....

    PMDF prende motorista embriagado e passageiro armado em Planaltina

    A Polícia Militar prendeu duas pessoas, na madrugada de quinta-feira (6), por porte de arma de fogo e embriaguez ao volante, na Quadra 1,...

    Indicador Antecedente de Emprego da FGV cresce 9,2 pontos

    O Indicador Antecedente de Emprego (Iaemp), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 9,2 pontos de junho para julho deste ano e atingiu 65,9...

    Adoniran, 110 anos: compositor marcou o samba com sotaque paulistano

    Como não ter uma baita de uma reiva de ir em um samba quando não encontremo ninguém? Ainda mais se esperava tomar uma frechada...