22 C
Distrito Federal
22/09/2020 - 18:58 PM

As Quentes da política do DF

MP 971/20 em pauta Está em pauta na Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (17), a medida provisória 971/20 que trata do aumento salarial  da força...
More

    Em 8 meses, 1.616 acidentes com animais peçonhentos


    | Foto: Divulgação

    De janeiro a agosto de 2020 a Vigilância Epidemiológica do Distrito Federal registrou 1.616 acidentes com animais peçonhentos. Desses casos, 103 casos eram de moradores do entorno. O animal com maior número de ocorrências é o escorpião, que resultou em 1.207 acidentes. Também há registro de ocorrências com serpentes, aranhas, abelhas e lagartas.

    A notificação desses acidentes é compulsória e os números são monitorados pela Vigilância epidemiológica que comunica ao Ministério da Saúde. A partir dos dados é possível prever o estoque necessário de soros contra os diferentes venenos para assegurar a reposição ao longo do ano nas unidades de saúde da rede.

    As equipes da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Secretaria de Saúde monitoram esses dados a fim de garantir a quantidade de soro contra os diferentes venenos sempre disponíveis nos hospitais da rede pública de saúde. A Divep consolida os dados de acidentes com esses animais. Veja os dados de janeiro a agosto de 2020:

    Quem devo chamar?

    A Vigilância Ambiental deve ser acionada em caso de surgimento de escorpiões, aranhas, lagarta e lacraia pelos números 160 e 2017-1344 ou pelo e-mail [email protected] A vigilância faz a captura, o monitoramento e identificação. Ao receber a ligação, ou e-mail, os técnicos da Vigilância Ambiental fazem o agendamento da inspeção. No momento da ligação, são passadas orientações ao morador indicando como proceder enquanto a inspeção não é realizada.

    Após o agendamento, uma equipe é enviada à residência e faz a coleta dos animais existentes, com busca em caixas de esgoto, entulhos e outros locais. “Verificamos as condições que existem na casa ou apartamento que favorecem a entrada desses animais ou abrigo deles. A gente acaba orientando a população a adotar algumas medidas preventivas e de controle”, esclarece Martins.

    Se encontrar um enxame de abelhas, o Corpo de Bombeiros deve ser acionado pelo telefone 193. Se o animal for uma serpente, o Batalhão de Polícia Ambiental deve ser chamado, pelo 190. Embora a Vigilância Ambiental não faça captura desses últimos animais mencionados, cabe ao órgão a orientação e a educação da população sobre os cuidados de prevenção para evitar os acidentes.

    Neste ano, a Vigilância Ambiental recebeu 1,2 mil solicitações de inspeções ou retirada de animais peçonhentos.

    Como evitar?

    Escorpiões

    O escorpião é o animal que lidera as ocorrências de acidentes no Distrito Federal. O aracnídeo gosta de se esconder em materiais de construção, caixas de esgoto, entulho, frestas e buracos em paredes, além de caixas de fiação elétrica, de telefone e tomadas abertas. Para evitar o surgimento deles é importante tomar uma série de medidas, como:


    Também é necessário redobrar os cuidados para evitar o aparecimento de baratas, pois elas são a fonte de alimento dos escorpiões. A estação chuvosa propicia o aumento de ocorrência de solicitações de captura do animal. No entanto, a Diretoria de Vigilância Ambiental registra chamados em todos os meses. Isto porque esses animais encontram condições favoráveis de sobrevivência.

    A Dival alerta que não existe inseticida comprovadamente eficaz para combater escorpiões.

    Atendimento na rede pública

    Em caso de acidentes, o paciente deve procurar o mais rápido possível a emergência do hospital regional ou UPA mais próxima para o atendimento e, se necessário, receber o soro compatível. Apenas os hospitais referência para a Covid-19 tiveram esse tipo de atendimento suspenso, assim, os pacientes que buscariam atendimento no Hospital Regional da Asa Norte devem procurar o Hospital Regional do Guará ou outro nas proximidades.

    Prevenção

    Na ocorrência de acidentes, a Secretaria de Saúde conta também com o Centro de Informação e Assistência Toxicológica (Ciatox) do Samu, referência no atendimento aos pacientes picados e funciona 24 horas por dia. O Ciatox possui equipe multidisciplinar de médicos, enfermeiros e farmacêuticos que prestam orientação à população. Em caso de ocorrência, disque 0800-644-6774.

    Comentários

    - PUBLICIDADE -

    Notícias Relacionadas

    22/09/2020

    22/09/2020 Fonte Agência Brasilia

    Dia Mundial sem Carro ganha ação educativa

    Na sequência das atividades em comemoração à Semana Nacional do Trânsito, a equipe de educação de trânsito do Departamento de Estradas de Rodagem do...

    Proteção de mulheres e meninas é tema de curso on-line

    Iniciativa do Governo do Distrito Federal (GDF) e da Ambev, o programa Brasília Vida Segura ganha reforço da Secretaria da Mulher, com o lançamento...
    - PUBLICIDADE -

    Últimas Notícias

    Primeiro grupo de atletismo da Missão Europa retorna ao Brasil

    O primeiro grupo de atletismo da Missão Europa, programa do Comitê Olímpico do Brasil (COB) que promoveu treinos no Velho Continente, retornou ao Brasil,...

    Manaus pode ter atingido imunidade de rebanho, sugerem pesquisadores

    Pesquisa coordenada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP), com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São...

    22/09/2020

    22/09/2020 Fonte Agência Brasilia

    Caça Gripen da Força Aérea Brasileira comprado na Suécia chega a SC

    O primeiro avião caça F-39 Gripen, produzido na Suécia para a Força Aérea Brasileira, foi transportado na madrugada de hoje (22) por via terrestre...

    Governo de Goiás e Ministério da Cidadania anunciam ampliação de recursos do Programa de Aquisição de Alimentos Estadual

    O governador Ronaldo Caiado, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza...