Que a saúde naufragou no Brasil e no DF, já sabemos há muito tempo. É interessante a forma de gestão da Secretaria de Saúde do DF. Fomos no HRSAM, após recebermos  uma denúncia sobre a falta de atendimento, e constatamos que o Hospital de Samambaia atendeu apenas a classificação vermelha com apenas um médico Clínico Geral na emergência. Fomos atrás do chefe de equipe, mas ele não conseguiu nos informar o porquê do atendimento apenas para a classificação vermelha. Isso também está ocorrendo nas UPAS da cidade. Além da falta de informação, descobrimos que o hospital de Samambaia não tem ASCOM, qualquer demanda da imprensa tem que ser enviada por email para a Ascom da SES-DF.

É ético atender emergência com um médico apenas, numa cidade com mais de 254.439 habitantes (Codeplan,2015)? Essa é a escala correta do hospital? Ou algum médico faltou? Informação quase impossível de saber pela imprensa, imagine pelo cidadão.

A pergunta principal é: onde está sendo aplicada a Lei de acesso à Informação, que obriga os órgãos públicos a serem transparentes e a garantirem o acesso ao usuário do serviço público a registros administrativos e a informações públicas?

No mínimo a escala de plantão dos médicos teria que ser exposta nos sites da SES-DF todos os dias para que o contribuinte do DF tenha conhecimento de como está o atendimento de cada hospital, e possa conferir se as faltas sem atestados estão sendo descontadas no contra-cheque.

A Lei de Acesso à Informação obriga (artigo 5°) todos os poderes a divulgarem informações de interesse particular, coletivo ou geral. Isso inclui a escala médica, que é de suma importância ao usuário da Saúde Pública.

 

Cris Oliveira

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.