O governador Rollemberg assinou durante o encontro o decreto que institui a Política Brasília Junina. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Com o objetivo de ouvir as reivindicações e sugestões das quadrilhas juninas do Distrito Federal, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, recebeu os quadrilheiros para uma Roda de Conversa na Residência Oficial de Águas Claras (Roac) na noite desta terça-feira (1º).

O encontro marcou a retomada do programa de governo que, em 2015 e 2016, passou por várias regiões administrativas para ouvir demandas da comunidade escolhidas por sorteio.

Depois de ouvir os representantes das quadrilhas, o governador assinou o decreto que institui a Política Brasília Junina.

“Como política, o incentivo para as quadrilhas continua mesmo depois deste governo. Assim, garantimos o Brasília Junina para outros anos”, justificou Rollemberg.

Para o secretário de Cultura, Guilherme Reis, o decreto é um reconhecimento do movimento junino como representação cultural de todas as regiões de Brasília. “Ele dá maiores oportunidades, desburocratiza o processo de contratação das quadrilhas e institui chamamentos públicos e parcerias com a sociedade civil”, detalhou o titular da pasta, presente no encontro.

“Como política, o incentivo para as quadrilhas continua mesmo depois deste governo. Assim, garantimos o Brasília Junina para outros anos”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

Entre as demandas dos representantes de quadrilhas estavam questões de segurança para os ensaios, que ocorrem nas ruas e à noite. Como solução, alguns sugeriram a abertura de espaços em escolas para os grupos ou a ocupação de locais abandonados.

O governador se comprometeu a estabelecer um diálogo entre os movimentos e a Secretaria de Educação para estudar a viabilidade da ideia de que sejam usadas unidades de ensino públicas para as quadrilhas ensaiarem.

Depois de ouvir as reivindicações, Rollemberg propôs que os representantes façam da Roac um ponto de encontro para fóruns e reuniões do segmento. “Esse espaço está aberto para o uso de vocês. Saio daqui muito entusiasmado com a perspectiva de fortalecer o movimento.”

Programa Brasília Junina de 2017 teve apoio de R$ 910 mil

O segmento que trabalha para manter a tradição popular na capital teve o apoio do governo por meio do programa Brasília Junina, criado em 2016 para o fomento da cadeia produtiva dos festejos típicos.

O Brasília Junina deste ano contou com o investimento de R$ 910 mil para 40 quadrilhas selecionadas via chamamento público. O orçamento foi dividido em R$ 430 mil para montagem das estruturas e R$ 480 mil para contratações artísticas. Cada grupo recebeu R$ 12 mil para apresentações em diversas regiões da cidade.

“Tivemos um acréscimo este ano com estruturas físicas iguais para todas as festas. Tenho certeza que ainda vamos crescer mais nas próximas edições”, disse o secretário Guilherme Reis.

34 mil pessoasPúblico que assistiu às apresentações das quadrilhas juninas que receberam apoio do governo de Brasília

De acordo com a Secretaria de Cultura34 mil pessoas assistiram às apresentações das quadrilhas nas regiões administrativas de Ceilândia, do Guará, de Planaltina, do Paranoá, de Samambaia, de Sobradinho e de Taguatinga.

O movimento junino de Brasília está dividido em duas organizações, que representam todos os grupos do Distrito Federal e do Entorno: a Liga Independente de Quadrilhas Juninas do DF e Entorno e a União Junina Brasiliense.

Membro da Liga, Lucas Martins demonstrou agradecimento pela iniciativa do Brasília Junina. “A gente fica feliz quando vê esse projeto deslanchando. Como é bom saber que teremos uma estrutura para dançar no próximo ano.”

Por parte da União, Márcio Nascimento reconheceu o empenho da atual gestão para o movimento junino crescer. “Somos marginalizados há muito tempo, e esse apoio é muito importante porque transcendemos as quadrilhas. Estamos envolvidos em outras manifestações culturais, como teatro e escolas de samba.”

Roda de Conversa terá nova roupagem

Segundo a Assessoria de Interação Social e Participação Cidadã, da Governadoria, a Roda de Conversa passará a ser temática. A proposta do Executivo local para a nova roupagem do programa de governo inclui ainda fazer uma aproximação com movimentos organizados.

Depois das quadrilhas juninas, serão ouvidos segmentos das áreas de educação e esporte, entre outros.

Em 2016, a Roda de Conversa percorreu as seguintes regiões: Águas Claras, Brazlândia, Núcleo Bandeirante, Planaltina, Riacho Fundo II e São Sebastião. No total, participaram 3.950 pessoas. Em 2015, Rollemberg encontrou-se com a população da Candangolândia, do Itapoã e do Recanto das Emas.

EDIÇÃO: RAQUEL FLORES

Fonte: Agência Brasília

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.